• João Vicente

Bizâncio e Islã: Idade da transição

Atualizado: Abr 25

Seguindo sua tradição de organizar mostras de grande repercussão sobre o tema Bizâncio, o Metropolitan Museum de Nova York apresenta entre os dias 14 de Março e 8 de Julho desse ano uma rica exibição chamada “Bizâncio e Islã: Idade de Transição” (ou “Byzantium and Islam: Age of Transition” em inglês).


Uma vez que o legado bizantino foi de extrema importância para a formação do Islã, a exposição tenta montar uma idéia de transição e apropriação de uma civilização para outra, comparando elementos da cultura material bizantina, principalmente daquelas regiões que caíram posteriormente sob domínio islâmico (Síria, Palestina e Egito), com itens dos primeiros séculos de existência do Islã.  A influência é clara.


Sendo assim, abaixo traduzo a descrição publicada no site da mostra e posto umas imagens de algumas peças


***



No início do sétimo século, vastos territórios que se entendiam da Síria para o Egito e até o Norte de África eram governados pelo Império Bizantino de sua capital, Constantinopla (moderna Istambul). Importantíssimas para a riqueza e o poder do império, essas províncias ao sul, há muito influenciadas pelas tradições greco-romanas, eram lar de cristãos ortodoxos, cópticos e siríacos, comunidades judaicas e outras. Grandes centros de peregrinação atraiam fieis de distantes locais como o Iêmen ao leste e Escandinávia ao oeste. Importantes rotas comerciais alcançavam a leste o Mar Vermelho, passando o Jordão, e a Índia ao sul, trazendo ceda e marfim para os territórios imperiais. As principais cidades faziam fortunas com o comércio estendido ao longo de rotas comerciais terrestres ao norte de Constantinopla e ao longo do Mediterrâneo. Comercio trazia consigo imagens e idéias livremente por toda essa região


No mesmo século, a recém-estabelecida fé do Islã emergiu de Meca e Medina ao longo do Mar Vermelho e penetrou a oeste dentro das províncias ao sul do império. A autoridade política e religiosa foi transferida do há muito estabelecido Império Cristão de Bizâncio para as recém-estabelecidas dinastias muçulmanas dos Omíadas e Abássidas. Os novos poderes tiraram vantagens das tradições existentes da região ao desenvolver suas convincentes identidades visuais religiosas e seculares. Essa exibição segue as tradições artísticas das províncias ao sul do Império Bizantino do século VII ao IX, enquanto elas eram transformadas de serem centrais para a tradição bizantina para serem partes importantíssimas do mundo islâmico.  


Amuleto de peregrino com imagem de São Simão Estilita, o jovem, (século X-XI)

Amuleto de peregrino com imagem de São Simão Estilita, o jovem, (século X-XI)



Marfim da assim chamada cadeira de São Menas com camelos ao lado (séculos VII-VIII)



Folio do com texto do século V e imagem do imperador Heráclio e sua família do século VII



 Moeda arábica (696-697) com forte influência bizantina e sassânida


 Vaso bizantinos com cruzes e vinhas (século VII-VIII)


Livro do Êxodo Caraíta (1005)

Inscrição funerária cristã-palestina (século VI)


Folio de um Corão (aprox. 900-950)

Folio de um Corão (aprox. 900-950)



13 visualizações0 comentário